Início > Uncategorized > Por que escrevemos um editorial?

Por que escrevemos um editorial?

Enviado do meu iPhone

Início da mensagem encaminhada

De: Empiricus – Mercado em 5 <mercadoem5>
Data: 10 de outubro de 2014 13:12:48 BRT
Para: "jonasjr" <jonasjr>
Assunto: Por que escrevemos um editorial?
Responder A: <mercadoem5>

Ler no navegador | Preferências de Recebimento
Facebook icon Curtir Twitter icon Tweet Forward icon Encaminhar
m5mbanner.084114.jpg
Por que escrevemos um editorial?

:. Por que escrevemos um editorial?

:. A outra crítica

:. 
Dica cultural!

:. E a questão microeconômica de Petro???

:. A dois passos do paraíso

:. Uma gigante entrando no Brasil? —> exclusivo para o PRO

:. A solução para a Oi eu vou dar… —> exclusivo para o PRO

:. Uma incógnita nos 10% —> exclusivo para o PRO

00:22- Por que escrevemos um editorial?

Eu gostaria que o Brasil fosse como umoutro país, vamos pegar o New York Times, em que lá tem um editorial que diz que partido que ele vai defender. Isso, na linha editorial.”

Concordo com o ex-presidente Lula, e vou além…

Entendo (Roberto) ser até perigoso o discurso dos veículos que se auto-proclamam “imparciais”, sob o risco de utilizarem isso na tentativa de legitimar um noticiário – de fato – parcial.

Explico…

Quando o Juca Kfouri comenta um jogo do Corinthians, um potencial conflito de interesses (e aqui a palavra potencial é fundamental, pois, a princípio, todos são honestos) decorre não do fato de ele falar que é corinthiano, mas, sim, pelo fato de ele ser corinthiano.

Do mesmo modo, um analista de ações que tem determinada ação é obrigado a dizer sua posição em carteira. Isso reduz o conflito de interesse ao dar mais transparência ao processo – e não aumenta, conforme defende o olhar superficial, ele, sim, enviesado.

Não há qualquer problema nessa dinâmica toda, fique claro…

Empresas são feitas de pessoas, e pessoas carregam as suas preferências e vieses. Não dá para fingir que não, ou negar a realidade dos fatos. Isso é bem diferente de parcialidade nas informações. Os editoriais existem no mundo todo, o que não isenta os escolhidos de críticas futuras, em hipótese alguma.

Publicamos um editorial ontem não para pedir voto para o Aécio ou como peça publicitária via mala direta, tal como aquelas entregues (ou não) pelos Correios… Publicamos, sim, pois entendemos que assumir as nossas posições, assim como fazem os veículos de opinião de países desenvolvidos, é a maneira mais correta e transparente de lidar com os nossos leitores.

Ainda assim, recebemos uma série e manifestações, ameaças e xingamentos de gente que não entendeu o ponto… Mesmo algumas manifestações positivas não entenderam o ponto.

Interessante que mesmo no cerne das opiniões dissonantes da nossa encontramos pensamento similar, como a do ex-presidente Lula. Ainda assim, as manifestações negativas, salvas raríssimas exceções, chegaram ao nível do xingamento, ameaça e baixaria.

Editoriais são prática habitual em mercados desenvolvidos de mídia, e expediente já utilizado por alguns veículos brasileiros conhecidos, tanto de situação quanto de oposição. A Carta Capital, por exemplo, publicou recentemente editorial em que apoia a reeleição. Embora não concorde com o conteúdo, elogio a atitude da Carta Capital, dentre outros.

01:34- A outra crítica

Há uma outra crítica, de que informação financeira ou consultoria sobre os mercados de capitais não deve abordar a questão política – sim, ainda recebemos essa crítica absurda.

A esta altura do campeonato, parece-me mais do que provado que, com os mercados do jeito que estão, melhor seria, então, analistas, economistas, gestores e investidores em geral irem procurar outro emprego. Seria como falar de Vale sem tratar do minério de ferro. Acho que já superamos este ponto, não?

Respeitamos – e queremos preservar – a opinião de cada um dos leitores. Assim como gostaríamos respeitamos a nossa própria.

PS: Além dos xingamentos, está chovendo e-mails de mulherada… na caixa do Cartas da Iguatemi, empresa irmã da Empiricus. Ontem estreou a newsletter Mulher Maravilha, dedicada ao mundo das finanças femininas. Homens também podem se interessar, ou ao menos indicá-la às mulheres maravilhas das suas vidas. Para outros propósitos, estou dispensando. Para se cadastrar ou recomendar algum email para o recebimento gratuito, basta clicar aqui.

02:31- 
Dica cultural!

Dentro do possível, ontem assistimos a um debate de alto nível entre o ex-atual Ministro da Fazenda Guido Mantega e Armínio Fraga, futuro Ministro da Fazenda no caso de eleição de Aécio Neves.

O debate entre Mantega e Armínio foi… bem, um debate entre Mantega e Armínio, conforme o esperado.

Hoje, a dica cultural também aborda o momento atual da economia e mercados – como escapar disso? – sem perder o nível. Recomendo a leitura da coluna do professor Carlos Eduardo Soares Gonçalves no Valor Econômico: http://www.valor.com.br/cultura/3729286/era-uma-vez-o-brasil.

Bom, considerando a série de opiniões gabaritadas simétricas à nossa e a confirmação de todos os elementos da tese do Fim do Brasil – sim, TODOS – em velocidade superior à que esperávamos a partir dos indicadores econômicos, talvez não sejamos tão loucos ou terroristas assim… Confesso que é confortante. Sentimo-nos homenageados.

CapturadeTela2014-10-10as12.53.16.125338.jpg
03:19- E a questão microeconômica de Petro???

Petrobras está sob os holofotes do mercado, é a ação que melhor representa o cenário binário entre Aécio (alta substancial das ações) e Dilma (queda substancial das ações).

Há o lado político da coisa, da acusação de partidos estarem drenando o caixa da estatal para benefício próprio, ou mesmo da posição da atual presidente e do atual Ministro da Fazenda na nomeação dos executivos e por ocuparem a presidência do Conselho de Administração da empresa durante o episódio…

Mas não podemos esquecer que há também o outro lado da história, que diante do embate político foi deixado em segundo plano.

E o operacional da empresa, o seu corpo executivo?

Qual a credibilidade dos quadros operacionais da Petrobras para serem mantido à frente da empresa? Por exemplo Sério Machado, citado no esquema de propina na delação premiada, e ainda presidente da Transpetro (ainda precisamos de provas, claro), ou mesmo a presidente Graça Foster, em meio a tantas acusações consistentes (por gente de dentro da empresa sob os termos de delação impostos pela Polícia Federal) de tudo estar acontecendo às suas barbas, e, ainda assim, manter cargos como o de Machado?

Algo não precisaria ser feito ali também para recuperar a credibilidade da empresa, ou ao menos tentar estancar o que configura uma clara ruptura de governança? Não custa lembrar: o principal stakeholder de Petrobras é o Estado e não o governo.

04:10- A dois passos do paraíso

Fico pensando… O céu de brigadeiro da Petrobras, ou melhor cenário do mundo, pode ser muito mais tangível do que a própria empresa imagina. Ele pode não estar nos orçamentos e prazos surreais de projetos, ou nas inatingíveis metas de produção…

Imagine quanto Petro geraria a mais de caixa sem os 3% da propina e sem os recorrentes prejuízos na política de importação de combustíveis…

Queira o não, Petro sempre esteve a dois passos do Paraíso, ou algo próximo dele.


Será que ela está me esperando?


Eu fico aqui sonhando


Voando alto, perto do céeeeu…

bannerpro.png
Uma gigante entrando no Brasil? —> exclusivo para o PRO
m5m-desfocada01_8.jpg
A solução para a Oi eu vou dar… —> exclusivo para o PRO
m5m-desfocada02_9.jpg
Uma incógnita nos 10% —> exclusivo para o PRO
m5m-desfocada03_10.jpg
assinatura-beto.jpg
Quer ter acesso à versão completa?
Custa só R$ 9,90 por mês. Basta clicar abaixo:
bannerm5mpro.png
Política de Privacidade | Disclosure | FAQ
Esta mensagem foi enviada para jonasjr como parte da assinatura gratuita do conteúdo Empiricus. Se não deseja mais receber nenhuma de nossas newsletters, clique aqui.

Para escolher qual(is) de nossas newsletters deseja receber, clique aqui.

Empiricus Research
Rua Iguatemi, 354 cj 101
01451-010
Itaim Bibi – São Paulo/SP

Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: