Início > Uncategorized > Estado de São Paulo terá fundo de recursos para remediação de áreas contaminadas

Estado de São Paulo terá fundo de recursos para remediação de áreas contaminadas

Estado de São Paulo terá fundo de recursos para remediação de áreas contaminadas

Decreto regulamenta lei 13.577-09 e prevê criação do Feprac, que destinará recursos para a Cetesb recuperar áreas consideradas "órfãs"

Romário Ferreira, da revista Construção Mercado

Marcelo Scandaroli

Sancionado em 5 de junho de 2013, o decreto nº 59.263 regulamenta a Lei nº 13.577, de 8 de julho de 2009, e detalha os processos de investigação e remediação de áreas contaminadas no Estado de São Paulo. Em geral, a lei trata da proteção da qualidade do solo contra contaminações e do cadastramento e tratamento de áreas contaminadas. Mas a grande novidade do decreto é que, enfim, sairá do papel o Fundo Estadual para Prevenção e Remediação de Áreas Contaminadas (Feprac), fundo de investimento vinculado à Secretaria do Meio Ambiente.

O objetivo do Feprac é disponibilizar recursos para que a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) possa investigar e remediar terrenos contaminados no Estado paulista, principalmente áreas públicas – e também privadas – consideradas "órfãs", em que o responsável legal não atendeu à legislação.

"O decreto tem muitas questões importantes, mas a principal é a criação do Feprac, que é um fundo estadual com recursos para recuperação de áreas órfãs públicas e particulares também. Esperamos começar a operá-lo em breve", destacou o secretário estadual de Meio Ambiente, Bruno Covas, durante o seminário internacional Investigação e Biorremediação de Áreas Complexas Contaminadas, realizado na última terça-feira (16), em São Paulo.

Para Elton Gloeden, gerente do departamento de áreas contaminadas da Cetesb, que também esteve no evento, "o decreto é um marco para o setor". Segundo ele, a Cetesb já está trabalhando para colocar o novo texto em prática. Um dos primeiros passos, de acordo com ele, é a criação de um conselho gestor para o Feprac, que deverá ser formado ainda este ano.

Com a escassez de terrenos no mercado imobiliário, a remediação de áreas de contaminadas tem interessado cada vez mais as empresas do setor. Segundo levantamento da Cetesb, até dezembro de 2012 o Estado de São Paulo possuía mais de 4,5 mil áreas contaminadas registradas. Há 13 anos, em 2002, havia apenas 255 áreas registradas, segundo Gloeden.

tit_conteudo_constmerc.gif
Anúncios
Categorias:Uncategorized
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: